26 de mai de 2014

Na selva de pedra
Empedra minha esperança

Procuro bastante por uma paisagem
Menos pedinte diante de um progresso inútil
Pois progresso depende não somente dos abutres
Depende também de boa vontade

Mas só avisto homens de bem
Que não entendem que o mau é o poderoso
Não o mendigo que passa fome
Nem o avião do grande traficante

11 de dez de 2013

Nesta estrada enlouquecida
Sigo refletindo
Sobre o mundo que habito

Com resquícios do antropocentrismo
Acreditei na reencarnação

Acreditei no estrelismo
Mas sem bajulação


Agora sei que cada rumo
É um dentro deste mundão

Ainda há chão para seguir
Porém agora o que me agrada
É digerir

Digerir no anonimato

Mas sem perder a paixão

24 de set de 2013

Fantasia

Pela janela viu um claro amanhecer quente
Tentou absover do sol uma magia eloquente

Mas não encontrou a razão
Pois mergulhava enlouquecido
Em um mar de ilusão

Pobre indivíduo desconexo de um mundo
Em que não se destaca o sonhador profundo
E sim o que usa o raciocínio
Como o único combustível oriundo


23 de set de 2013

Passo Compasso

Descompassa no passo errado
Compasso circula
Até que acerta o passo
E o ritmo inicia

4 de set de 2013

Poema ou poesia

Já entendi que um bom poema
Não necessita de uma linha

Mas o que me excita
É a poesia

Aquela onde a dança
Resulta em uma rima

Que parece até
Uma arritmia

3 de ago de 2013


Na cadeia do movimento
A mente não mente

Fica rígida quando não se exercita

Assim como os músculos
E os dentes

24 de mar de 2013

Braços e pernas
Apertos e passadas de mão
Tão perto da lembrança
Tão longe do coração


22 de fev de 2013


Por anos vivi em uma bolha
Achando que estava errada
Hoje me acomodo confortável dentro dela
Sabendo que ali eu posso com calma
Escolher meus caminhos sem ficar deslumbrada